quarta-feira, 20 de março de 2013

(um texto escrito no meio de muitas lágrimas)

Queria tanto que aqui estivesses para ver como todos nós estamos a crescer. Todos os dias penso em ti e penso na falta que fazes nessa tua figura pequena mas com o maior coração que já conheci até hoje!
Tenho sonhado todos os dias contigo, não faço ideia do que isso significa mas deixa-me sempre metade da noite acordada a decifrar todas as interpretações dos sonhos a cargo do meu colega Freud. Para não falar que vejo sempre o dia nascer com a pergunta a saltitar de cigarro em cigarro (imagina que eu não te acabei de contar isto): porquê?
No outro dia dei por mim a pensar onde ia comprar desta vez uma flor para te oferecer nos anos. Não foi preciso muito para me afogar em lágrimas ao pensar que este ia ser o primeiro ano em que não estavas cá connosco no único dia em que oferecias uma fatia de bolo a toda a gente. Era sempre de iogurte. Agora que só estamos aqui nós, o bolo de iogurte não era o teu forte mas era tão deliciosamente feito de carinho e amor, que toda a gente desculpava. Afinal era só um mau bolo no meio da maior cozinheira de Pernelhas.
Espero que estejas a olhar por nós e que me desculpes por ainda não ter ultrapassado o facto de te teres ido embora sem um beijinho meu.
Tenho tantas saudades tuas tia, tantas, que agora que penso... o amor afinal é isto.

Sem comentários:

Enviar um comentário