sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

puto #2


Apesar de Deus escrever direito por linhas muito tortas, por vezes queremos que escreva torto por linhas direitas!
Adorava que me fizesse sentir só um quarto daquilo que em tempos alguém me fez sentir. Adorava que os seus olhos me amarrassem como já fui amarrada.
Eu sei que já ultrapassei esta última facada, mas não sei cicatrizar a ferida com este penso também ele frágil e inseguro! Tudo bem que até já me confessou que sabe lidar com um bom desafio de conquista, mas a sua serenidade não conhece a minha insistência nas pequenas coisas que ligam as pessoas e neste caso só vejo uma bem grande em comum.
Fui tirada da liberdade durante uma hora e tal e a minha vida mudou, porquê agora este desconforto para avançar mais um parágrafo nesta nova página? Realmente sou feita de centrifugações a mais neste mix de fragilidade e força.
E se daqui a uns tempos seja ele a desistir como eu acabei de desistir da única pessoa capaz de me saber de cor? Não, quero-o aqui a proteger-me e a gostar de mim, porque o seu colo dá-me alento e o seu alento faz milagres no meu sorriso todos os dias.
Em resposta à sua última mensagem 'eu não te deixo sozinho se me prometeres que não pressionas este coração.'
ps-por hoje, devo-te uma!

6 comentários:

  1. q essa página da tua vida continue c parágrafos tão deliciosos como estes!

    ResponderEliminar
  2. por mais vontade que tenhamos em sarar as feridas, as cicatrizes ficarão sempre. força no virar da página*

    ResponderEliminar
  3. atira-te e diz q te empurraram. o resto ficou p trás, manda fo-der
    p.s- a mim deves-me só um maço;p
    **

    ResponderEliminar
  4. sem palavras porque acho que nunca te compreendi melhor! queremos que esta fase continue sem avançar nem retroceder, que simplesmente estagne desta maneira que nos faz tão bem!

    ResponderEliminar
  5. !emancipator

    estas páginas da minha vida são redigidas mentalmente a toda hora. nao consigo mais.

    ResponderEliminar